Para adidas... Com Amor

Querida adidas,

Já tivemos algumas oportunidades e apresentações ao longo desse tempo, mas nunca podemos parar e sentar pra eu te contar a história da minha família com vocês, que começou bem antes de que nós pudéssemos ser apresentados.  

Antes mesmo de eu nascer, a minha família sempre foi muito humilde, sem muitas oportunidades e com pouco acesso à informação. Minha avó, mãe da minha mãe, passou grande parte de sua vida trabalhando como diarista, e como hoje, naquela época era comum as patroas darem aquelas roupas que já não queriam mais para suas "empregadas". Foi aí que meus tios, tias e a minha mãe vieram a ter oque hoje temos acesso sem muito esforço: o famoso conjunto adidas e um modelo Marathon 80, enorme, que no final acabou ficando para o mais velho dos meus tios, e que certa vez minha mãe usou para ir para a escola, sem ao menos se importar os pelo menos 5 números maiores. Todos já queriam ser adidas.

Foi só por volta de 1990 que eles começaram a ter um poder de compra. Era bem baixo, mas tinham. Em um dos seus pagamentos mensais, minha mãe investiu em um modelo Dragon, que durante 3 anos trabalhando como office girl e rodando São Paulo, foi o seu preferido e deu lugar a outro modelo da marca. Em dezembro de 1997, a mais nova das irmãs se deu conta de que o investimento de R$89,90 era mais do que justo para o que o sneaker do momento que conhecemos hoje como Superstar. Foram anos rodando os quatro cantos da cidade. Ele já era confortável, como ela mesmo me contou mais cedo por telefone, e chamava a atenção em qualquer lugar onde fosse. Também foram anos, e por incrível que pareça, ele chegou aos anos 2000 intacto, afinal, o cuidado era enorme. Já existiam sneakerheads?

Nos anos 2000 a família já era adidas e as três listras já faziam parte do nosso cotidiano. O acesso era melhor, informação era fácil e para sorte das crianças que nasceram nessa época e/ou mais tarde, ser adidas já nem era assim tão difícil. Primos, sobrinhos e há mais ou menos 3 anos antes eu, já tinhamos desenvolvido um gosto pela marca. Era lindo de se ver. 

Foi em meados de 2014 que nos conhecemos, ficamos mais próximos e estreitamos a nossa relação. Trocamos ideias e procuramos sempre entender um a necessidade do outro. Seja pro crescimento de ambos ou simplesmente para questões pessoais, que ambos sabemos que vai além de uma relação "empresa - cliente". 



Hoje não compramos uma marca, não compramos um simples sneaker. Compramos um lifestyle, uma história e a certeza de que a influência foi grande em nossas vidas e até na formação de alguns elementos da nossa personalidade e gosto pessoal por produtos que de certa forma se tornam importantes e nos acompanham ao longo dos dias. 

Todos esses parágrafos foram simplesmente para agradecer a amizade, a confiança e por principalmente estarem presentes na minha vida antes mesmo de eu nascer e hoje estarem aí, me listrando, me ouvindo e dispostos a entrar comigo onde quer que eu vá. Isso não tem preço.

Um grande abraço,
Kaique.




Share to Facebook
0
Comente pelo Facebook
0 Comente pelo Blogger

0 comentários:

Postar um comentário