AS LISTAS CONTROVERSAS DA MODA E A INDIGNAÇÃO DA CLASSE


De tempos em tempos, sites especializados em moda lançam algumas listas de "pessoas mais estilosas da moda no Brasil", e bastam alguns cliques pra que surjam algumas duvidas quanto a procedência do titulo e de algumas pessoas que compõe a tal lista de estilosos, ou endinheirados. Como preferirem. Alguns, claro, fazem jus ao titulo, mas outros... Ah, eles só fazem com que a lista mereça outro titulo. "As figurinhas mais carimbadas da moda Brasil" me soa bem adequado.

O fator quase indignante da situação fica por conta das dezenas de pessoas estilosas ligadas de alguma forma a moda, que ficam de fora da listona dos poderosos do Brasil, e ficam apenas nas galerias de street style, que os mesmo sites das listas controversas, fazem mais cedo durante as semanas de moda São Paulo/Rio. Um dos sites, muito prestigiados dentro e fora do Brasil inclusive, chegou a usar o trecho "A definição de estilo que buscamos engloba não apenas o vestir, mas o gesto de cada um, deixando claro que estilo e elegância não têm a ver com dinheiro ou com os últimos alertas da moda e sim com atitude e respeito a quem você é.. em uma de suas matérias. Trecho esse que coloca por terra toda e qualquer vontade de ler uma segunda ou terceira edição das listas quem prometem ser anuais.

Como já dizia Coco Chanel, "a moda passa, o estilo permanece", mas ainda me custa acreditar que nas tais listas prevalecem aqueles com acesso a um sapato Valentino, uma bolsa Gucci ou um óculos Prada. Não somos hipócritas e ridículos a ponto de exigir uma lista com TODOS anônimos estilosos desse Brasil, pelo contrário. Apenas exigimos listas justas, limpas e que mostrem a verdadeira cara do Brasil, do norte ao sul, e não cópias baratas de pessoas famosas e anonimas que figuram no street style de semanas de moda lá da gringa. Me desculpe meus amigos e conhecidos que já apareceram ou foram citados em listas e matérias similares a essas, eu sei que ninguém pediu pra estar ali, mas depois dessa longa e dolorosa reflexão eu continuo me perguntando onde estão as pessoas "de verdade", que são gente como a gente e que conseguem fazer muito com pouco.

O sentimento não é de ódio, e apesar de uma certa "indignação" a mensagem é de paz. Não quero que isso soe como uma insinuação de que os mais "endinheirados" não tem direito de estar ali, pelo contrário. Em um pais onde tudo se dá um jeito e em tudo e em todo lugar sempre cabe mais um, acho que é já é hora de começar a dançar outra melodia, não?!



Share to Facebook
0
Comente pelo Facebook
0 Comente pelo Blogger

0 comentários:

Postar um comentário